Notícias

Saúde do coração: como evitar as doenças que mais matam no mundo

20set

O sistema cardiovascular, formado pelo coração e pelos vasos sanguíneos, é essencial para o funcionamento de todo o organismo

Cuidar bem do coração significa aumentar as medidas de proteção e diminuir os riscos diante de uma das mais graves ameaças existentes à saúde. As doenças cardiovasculares representam a principal causa de morte no Brasil e no mundo — infartos e acidentes vasculares cerebrais (AVCs) são os eventos mais frequentes e fatais. Segundo estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), 17,5 milhões de pessoas morrem de enfermidades cardiovasculares a cada ano, o que representa cerca de 31% de todos os óbitos no planeta. 

O sistema cardiovascular, formado pelo coração e pelos vasos sanguíneos, é essencial para o funcionamento do organismo, permitindo a circulação do sangue, a irrigação de órgãos e tecidos e a distribuição de oxigênio e nutrientes. É responsável pelos principais sinais vitais do corpo, como a frequência cardíaca e a pressão arterial. Grande parte dos problemas cardiovasculares pode ser prevenida com a adoção de bons hábitos e o abandono de práticas nocivas. A regularidade é essencial em dois pontos muito importantes: a prática de exercicios físicos e a manutenção de uma dieta saudavél. 

— Exercitar-se faz com que todo o seu metabolismo se transforme, afastando-se das coisas que fazem mal. Quem tem atividade física constante dificilmente fica obeso, presta mais atenção no que come, cuida-se melhor de um modo geral, tem mais qualidade de vida, está mais em paz, mais feliz, gosta mais de si. Essa sensação de bem-estar está associada à longevidade — diz o cardiologista Paulo Caramori, chefe do Serviço de Cardiologia do Hospital São Lucas da PUCRS.

O sedentário, por outro lado, expõe-se a um risco mais elevado de passar por complicações cardiovasculares. Aumentam as possibilidades de sofrer infarto ou AVC, desenvolver hipertensão e diabetes, ficar obeso. Mas não é preciso se tornar um atleta de alto nível para obter benefícios do exercício. Caramori observa que a prática de atividade aeróbica (caminhada, corrida, natação) três vezes por semana, durante 45 minutos, já mostra bons resultados. E as pequenas iniciativas para se movimentar no dia a dia também são bem-vindas: levantar-se a intervalos regulares ao longo da jornada de trabalho para dar uma volta pelo escritório, optar pelas escadas em vez do elevador, deixar o carro na garagem e caminhar até a padaria. 

— Afastar-se do sedentarismo é crucial. Quanto mais longe a gente estiver, melhor. Quem faz exercício é uma pessoa diferente, com diversas características mais saudáveis do que uma pessoa sedentária — completa Caramori. 

Além do sedentarismo, da obesidade e de índices de pressão, colesterol e glicose elevados, outros fatores de risco cardiovascular são o consumo abusivo de bebida alcoólica e o tabagismo. 

— Nascemos com uma quantidade de saúde no corpo. Se compararmos com uma conta no banco, de onde tiramos dinheiro, fumar é como tirar saúde do corpo. O cigarro é uma perda contínua, cumulativa. Cada cigarro fumado é um risco adicionado de se ter doença. Mais cedo ou mais tarde, o tabagismo vai cobrar um preço, como câncer ou doença cardiovascular.

 

Fonte:zh.clicrbs